My Photoroom

Cartas para a minha filha – Bases da Fotografia – Abertura e Velocidade

Termos que precisas de entender.

Abertura (Av): Abertura do diafragma, maior ou menor diâmetro de abertura do diafragma. Dependendo da abertura, vai entrar mais ou menos luz para sensibilizar o sensor. Mede-se em pontos de diafragma que podem ser de 1,2 – 2 – 2,8 – 4 – 5,6 – 8 – 11 – 16 – 22 … Por cada ponto de diafragma a mais, este “fecha” (diâmetro menor). Por cada ponto do diafragma a menos, este “abre” (diâmetro maior). Quando passamos de 4 para 5.6, dizemos que fechamos um diafragma. Quando passamos de 5.6 para 4, abrimos um diafragma. Os pontos de diafragma são chamados números F (f2.8, f4, f5.6…)

A abertura tem influência na profundidade de campo (algo que falaremos mais tarde), ou seja, na quantidade de planos de imagem abrangidos pelo foco. Nos extremos, um diafragma muito fechado (16 ou 22) faz com que os planos da imagem (desde o 1º plano ao plano de fundo) estejam todos focados. Um diafragma de 2.8 ou 4, fará com que apenas o plano focado (ou parte dele) esteja nítido.

Planos de imagem: Vamos falar disto mais tarde, mas agora é apenas uma noção importante. Numa foto de paisagem tens uma flor, por trás tens um rio e atrás do rio tens vários cavalos a pastar. No fundo tens um conjunto de montanhas com neve. A flor é o 1º plano, o rio está no 2º plano ,os cavalos estão no 3º plano e as montanhas estão no plano de fundo. TODAS as fotografias têm, pelo menos um 1º plano e um plano de fundo. Quando há mais que dois planos numa imagem, o foco pode, ou não, estar no 1º plano.

Velocidade (Tv): traduz o tempo que o diafragma demora a abrir e fechar. Mede-se com base em 1 segundo, sendo que as velocidades mais comuns em fotografia são frações de segundo.

Tomando como exemplo a tua máquina ela é capaz de abrir e fechar o diafragma em 1/4000s (4000 avos de segundo – 1 em 4000 partes de um segundo) até 30s. Para que servem as fotos com muito tempo de abertura? Para diferentes tipos de fotografia, como a fotografia nocturna, por exemplo.

A luz que entra no sensor depende da abertura (quanto ele abre) e da velocidade (quão depressa ele abre e fecha).

Uma fotografia bem exposta pode ter 2 combinações de abertura e velocidade: Abertura grande (f2.8) e velocidade rápida (1/200 ou 200), ou abertura pequena (f22) e velocidade lenta (1/15 ou 15). Se colocares a tua máquina em Av (preferência à abertura) e variares as aberturas, verificas que na medida em que abres, números f mais baixos, a velocidade é maior. A baixo de velocidades de 1/100, a máquina pode (conforme o caso) captar arrastamentos (foto com rasto) ou pelo movimento do que estás a fotografar ou pelo próprio tremer da tua mão (foto tremida). Quando assim é, se possível, deves usar um monopé ou um tripé.

Os valores de velocidade que vais encontrar na tua máquina são 4000, 2000,1500, 1000, 800, 400 200, 160, 125, 100, 60, 30, 15, 10, 8, 6, 4, 0.3s, 0.6s, 1s, 2s, 4s, 8s, 15s e 30s. Entre estes valores é normal que encontres valores intremédios.

Muitas vezes não é possível encontrar-mos valores de velocidade e abertura capazes de fazer uma correcta exposição (ou porque estamos em ambientes muito escuros, ou porque estamos em ambientes muito claros), nesses casos, temos de mudar a sensibilidade da máquina que se mede em “iso” (100iso, 200iso, … 800iso, 1600iso, 3200iso, 6400iso …) quanto mais alto é o iso, mais o sensor é sensível à luz. Um valor muito alto de iso acarreta maior ruído (ou grão) na imagem. Os sensores mais modernos conseguem valores elevados de iso sem ruído.

Quando as condições em que te encontras não permitem usar a combinação de abertura e velocidade que pretendes, tens de aumentar ou diminuir (conforme esteja escuro, ou claro) os valores do iso.

Por exemplo, no Oceanário fotografaste a 6400iso, mas no Jardim Zoológico fotografaste a 100iso. Com a minha antiga Canon, fotografava bem no zoológico e muito dificilmente no Oceanário. A capacidade de fotografar com iso elavado e sem ruido, permite-te fotografar em ambientes escuros. No caso de haver muita luz, normalmente é mais fácil resolver e qualquer máquina o faz. Quando uma fotografia tem pouca luz, diz-se que está sub-exposta; quando tem muita luz, está sobre-exposta. Por vezes o fotógrafo escolhe propositadamente sobre-expor ou sub-expor uma foto, mas sobre isso falaremos mais tarde.

Beijinhos e boas fotos.

2 thoughts on “Cartas para a minha filha – Bases da Fotografia – Abertura e Velocidade

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.